sexta-feira, 3 de março de 2017

Eu não sou Mercadoria

Eu não Sou MERCADORIA
Gildo Alves Bezerra

Quanto vale... quanto vale?
Tua vida
Minha vida
Até nossa, nossa EXPECTATIVA
Expectativa DE VIDA?
Hoje é MERCADORIA!
Moço é fundo
É fundo o poço
O fosso.
É golpe, é golpe
Até o gole de água
Transforma- se hoje
Em dia EM MERcaDoriA.
O golpe vem a galope
E cada vez mais
transFORMA A EDUCAÇÂO
em mercadoria.
Moço é fundo o fosso
Para a classe trabalhadora
Difícil. mas não sou mercadoria.
Quem banca... quem banca
O golpe? O capital financeiro.
As reformas da previdência, trabalhista,
Da educação etc.
Forma o golpe.
TransFORMA o SER
Humano

EM MERcaDoriA.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Liberdade no pensar!
“(...) Não obstante esteja a serviço de uma classe social, o discurso ideológico nega essa relação, assumindo um status de conhecimento técnico, racional e objetivo. No discurso dos ‘economistas’ de plantão nos principais meios de comunicação de massa do país, por exemplo, os gastos do governo com os programas sociais e a previdência devem ser restringidos para garantir o superávit primário, que ‘é o resultado positivo de todas as receitas e despesas do governo, excetuando gastos de pagamento de juros’. Dessa forma, as despesas na área social, que atendam aos interesses de milhões de brasileiros, podem ser restringidas para garantir o superávit primário, enquanto os gastos para pagar  os juros da dívida pública são intocáveis, o que interessa apenas a uma minoria de agentes financeiros. Porém, esse sistema é apresentado como ‘tecnicamente’ imparcial e baseados nos princípios da racionalidade econômica e administrativa”.
       “ Essa universalização dos interesses de uma minoria em detrimento dos interesses da maioria é essencial para a denominação de classe se realize por meio do convencimento, sem o emprego da força, constituindo o que o teórico marxista italiano Antonio Gramsci denominou hegemonia ideológica. Dessa forma, o sistema que favorece a classe dominante minoritária é apresentado como mais ‘racional’ e que melhor garante ‘o bem-estar comum’.” Dante Lucchesi

      Esses pensamentos nos servem para a gente pensar o contexto do golpe no Brasil. Então, qual será o papel que cada um dos partidos golpistas: PMDB, PSDB, DEM, PSB etc desempenha juntos as suas bases para a construção da hegemonia ideológica? E será que seus pensamentos já conseguiram atingir  outras siglas partidárias  que deveriam ter um papel de opositores na luta de classe?

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Loas as Vozes da Mussuca

Glória as lutas inglórias
Gildo Alves Bezerra

Que através de nossa história
Não esqueceremos Jamais.
Falar de uma quilombola
É nossa História.
         De corpo negro
         Em cenas e cenários
         Mulher quilombola
         Canta, rebola...
Conta nossa História
Todas as loas e glórias
A essa Mulher Quilombola.
         Nos ensina a respeitar o patrimônio imaterial
         Mulher poetisa, que sapateia, que é beiral
         Seu valor é local.
         É  extra- territorial.
As vozes da Mussuca
Nos diz o que é luta na resistência cultural
Quando ela diz “cadê o samba/ olhe ele aqui...”.  Que loas lhe reder?
        Negra
        Alegre
        Diversidade
        Inteligente
     Resistente na vida e na arte neste país à fora é Quilombola sem igual.